Blog Era uma vez

Maternidade

 

Era uma vez a Criopreservação das células estaminais

Destaque Era uma vez a Criopreservação das células estaminais
Era uma vez a Criopreservação das células estaminais

Guardar ou não as células do cordão umbilical foi a grande dúvida durante a minha primeira gravidez. A decisão é difícil já que estamos a guardar algo que esperamos nunca ter que usar.
Depois de lermos muitos artigos e de falarmos com algumas pessoas na área da investigação, optámos por fazer a preservação das células do sangue e do tecido do cordão umbilical e vou explicar o que nos levou a fazer. 
 
O que são as células estaminais?

As células do cordão umbilical são ricas em células estaminais que são células com capacidade de se desenvolverem em muitos tipos de células , como se fossem "células mãe". As células estaminais do sangue do cordão umbilical são semelhantes às da medula óssea e dão origem a todas as células do sistema sanguíneo e imunitário, são atualmente já utilizadas no tratamento de mais de 80 doenças. As células estaminais do tecido do cordão umbilical têm um enorme potencial terapêutico e podem ser usadas em transplantes conjuntos com células do sangue do cordão umbilical e da medula óssea, de modo a aumentarem a probabilidade de sucesso dos mesmos. Atualmente, as células estaminais podem ser criopreservadas até um período de 25 anos, e usadas mais tarde no tratamento de doenças da própria criança ou de familiares compatíveis. Este tipo de células é atualmente utilizado no tratamento de doentes com diferentes tipos de cancro e outras doenças associadas ao sangue ou ao sistema imunitário.

Vantagens: as células progenitoras hematopoiéticas presentes no sangue do cordão umbilical não exigem um grau de compatibilidade dador – recetor tão elevado como para o transplante de células de medula óssea ou de sangue periférico, uma vez que estas células se encontram num estado precoce de maturação. Isto reduz a probabilidade de efeitos adversos muitas vezes associados à rejeição do transplante. 

Desvantagens: A  limitação do uso destas células poderá ser a quantidade , se tiverem que ser utilizadas para um transplante no adulto. A quantidade de células que se consegue colher numa unidade de sangue do cordão é relativamente pequena, e para crianças mais velhas e com mais peso, ou adultos,  as unidades armazenadas podem não ser um número suficiente de células, e torna-se necessário recorrer a outros dadores compatíveis. Outra grande limitação é não se poder utilizar em doenças genéticas para uso próprio  como é o caso de grande parte das leucemias na infância que estão associadas a mutações genéticas contudo pode ser utilizado em irmãos ou familiares com grande probabilidade de compatibilidade. Quando decidimos fazer a recolha de células estaminais da Carminho tivemos isto em conta, que seria um investimento para ela mas também para outro filho que pudéssemos vir a ter. 

Neste momento há muitos estudos com celulas estaminais e mesenquimais em doenças de adultos como Diabetes ou AVC.  Tendo em conta a evolução da medicina acredito que num futuro próximo muitas patologias se possam curar com base nas células estaminais.

Optar pelo Banco Público ou Banco Privado?

Antes de mais tenho que que dizer que sou a favor do banco público! A primeira vez que ouvi falar em células estaminais foi em 2010 e pensei que 10 anos depois que estaria a funcionar a 100%.  É lamentável que um assunto  tão importante não mereça o financiamento necessário por parte do Estado. O ideal seria que a colheita fosse sempre para o banco público excepto quando os pais decidissem recolher para um laboratório privado mas não, apenas alguns hospitais têm acordo com o banco público. Atualmente a dádiva de sangue do cordão umbilical para o Banco Público ocorre apenas em 4 maternidades: Centro Hospitalar de São João – Porto, Maternidade Júlio Dinis - Porto, Hospital Pedro Hispano – Matosinhos e Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca.  As amostras são doadas com o objetivo de criar um registo de dadores que possa beneficiar doentes que necessitam de células estaminais de terceiros. As amostras são de propriedade pública, não tendo a família direito sobre a amostra doada.

Abordo este tema e explico as razões que nos fizeram inclinar para o "Sim" na tentativa de ajudar alguém na mesma indecisão.  A decisão da recolha de células estaminais deve ser bem ponderada já que se trata de um investimento monetário elevado (desde 1300€]. É aquele investimento que esperamos nunca vir a utilizar contudo saber que temos a hipótese de recolher a células deixa-nos mais tranquilos. 

Será realmente útil?
 
Não sabemos e provavelmente não saberemos tão cedo! Tomamos a decisão mediante a incerteza do futuro mas achamos que se foi criado um banco público (ainda que não tenha evoluído nos últimos anos provavelmente por falta de financiamento) terá algum interesse, ou não teria sido criado! Sabemos também que a medicina evolui à velocidade da luz e que em vários países já trabalham com células estaminais e têm sucesso! Em Portugal que dizem os investigadores? Que é o futuro! Quando começaram a Criopreservação apenas se falava de células estaminais do sangue do cordão umbilical e hoje em dia procede-se também à recolha de tecido e isolamento de células mesenquimais.
Quando reflectimos sobre o preço pensamos nisto como um seguro. Um seguro de vida ou de doenças raras em média custa 120€/ano...se o fizermos por 18 anos pagamos o mesmo valor pela criopreservação! Não é a mesma coisa, mas foi a forma de nos convencermos que estávamos a fazer um bom "investimento"! 

Depois de decidir guardar ou não, tínhamos que decidir que serviço escolher e neste ponto não tivemos duvidas: Sangue e tecido! Tal como disse antes, a medicina evolui de um modo fugaz e se hoje os laboratórios estrangeiros já utilizam com sucesso células estaminais provavelmente acontecerá o mesmo com as células mesenquimais recolhidas do tecido do cordão.

Que laboratório escolher?
A oferta é vasta mas escolhemos a Crioestaminal pela sua experiência no mercado, foi o primeiro laboratório em Portugal, é o maior da Península Ibérica, parece ter solidez profissional e financeira e o único que tem acreditação internacional para processamento do sangue e do tecido do cordão umbilical. A Crioestaminal é o Banco com mais amostras libertadas e transplantes realizados, tendo contribuído para 10 tratamentos em famílias Portuguesas.
Optamos por guardar sangue e tecido. A Crioestaminal está a oferecer um seguro de doenças graves durante os primeiros 6 meses de vida para todos os novos clientes e um serviço de pediatria até ao primeiros 6 meses do bebé, através do qual em caso de qualquer dúvida os Pais poderão enviar uma mensagem a um pediatra que responderá num prazo máximo de duas horas, é importante referir que este serviço não substituiu a urgência pediátrica, mas é uma boa ajuda nestes tempos que vivemos.
Não assistimos a nenhuma palestra sobre criopreservação, lemos tudo o que havia disponivel nos sites e depois de decidirmos recolher as células pedimos para ser contactados pela Crioestaminal. O atendimento telefónico foi muito profissional e muito claro. Em nenhum momento nos pressionaram para trocar por um serviço mais caro, foram apenas esclarecedores e aguardaram pela nossa escolha. 
 
Foto  09-12-2017 - antes do nascimento da Carminho

Deixo-vos o link de um post da Pipoca mais doce que me foi muito útil enquanto a minha pesquisa sobre o tema. Compilou dúvidas frequentes e pertinentes relativas à criopreservação que foram respondidas pela Crioestaminal.

Nenhuma mãe ou pai deve sentir-se pressionado por não fazer a recolha de células ou por não poder pagar o serviço. É uma decisão difícil e com base em suposições, não temos certezas, temos esperanças.  Acima de tudo temos de confiar que tudo irá correr bem e confiar no nosso sistema nacional de saúde.  A probabilidade de alguma doença não ter cura por falta de células estaminais ou mesenquimais é muito pequena, a criopreservação de células estaminais é uma aposta extra ao sucesso de cura de algumas doenças.
 
Qualquer dúvida que tenham podem enviar email ou contactar-me por mensagem privada no Instragram @eraumavez_catiagoncalves  

Eraumavez a mamã
 
Nota: Queria ressalvar que apesar deste post  ter sido Patrocinado pela Crioestaminal tive total liberdade de expressão. 
 
Modificado emsegunda, 20 abril 2020 14:28

Deixe um comentário

Certifique-se que coloca as informações (*) requerido onde indicado.

Blog Era uma vez @Instagram